Arquivos mensais: agosto 2015

As pequenas violências do cotidiano

Violências do Cotidiano

Quando pensamos em violência logo nos remetemos a organizações criminosas, quadrilhas, assassinatos e outros grandes crimes. Embora devamos sempre nos preocupar com qualquer modalidade de lesão a bens jurídicos, gostaria de falar sobre violências que não estão distantes de todos nós, e que podemos cometer não por maldade ou perversidade, mas por descuido e até desconhecimento.

Para dar um exemplo, considere quantas vezes um simples problema no trânsito costuma irritar as pessoas, levando-as a discussões ríspidas e agressivas. Ou mesmo em casa, quando irmãos discutem entre si, pais com filhos, marido e mulher. Às vezes, palavras mal colocadas fazem com que aqueles que amamos se distanciem, desestruturando a tão importante base familiar.

Há quem não respeite o outro por causa de sua origem social, religião, orientação sexual, cor da pele e elementos que não definem caráter. Piadas de mau gosto, xingamentos e outras formas de desrespeito são violências que devemos evitar sempre, pois magoam e destroem a integridade psicológica e moral das pessoas.

Em vez da violência, devemos incentivar a generosidade, a tolerância, o amor, a compreensão. Para fazer o correto não é preciso ser arrogante, ríspido e agressivo.

Sempre que pensarmos em violência devemos olhar primeiro para nós mesmos. Para a paz existir precisamos agir cuidadosamente, pois ela não é um ato de omissão. A paz é a ação através do Bem. Por isso sempre conclamo: a PMBA e a Comunidade na Corrente do Bem!