Arquivos mensais: outubro 2015

O trinômio para uma PMBA do futuro

O trinômio para uma PMBA do futuro

Para gerir uma Corporação com milhares de homens e mulheres que atuam nos 417 municípios baianos, é preciso estar constantemente desenvolvendo metodologias de trabalho que garantam um controle de qualidade no nosso serviço (administrativo ou operacional). Nesse sentido, há um trinômio fundamental para a gestão de qualquer processo na Polícia Militar da Bahia: o planejamento, o monitoramento e a avaliação.

O planejamento é o estudo dos meios disponíveis e a forma de aplicação desses meios nos problemas a serem enfrentados. O monitoramento é o constante acompanhamento da execução do planejamento, adotando-se, quando possível, medidas de ajuste em tempo real. A avaliação é a análise dos pontos positivos e negativos na execução do planejamento, para futuras correções e mudanças de rumo.

Percebam que esses conceitos, que esbocei aqui de maneira genérica, podem ser aplicados em qualquer processo da Corporação. O nosso Plano de Metas, já publicado aqui no blog, nada mais é do que uma ferramenta de planejamento, que projeta os traços institucionais da PMBA até 2018. Esse Plano está em constante monitoramento, para que, até lá, tenhamos efetividade no que foi proposto.

“Existem inúmeros exemplos onde o trinômio planejamento, monitoramento e avaliação podem (e devem) ser aplicados, buscando o aperfeiçoamento das nossas ações.”

Da mesma forma, uma guarnição PM, antes de realizar uma busca pessoal, planeja todos os procedimentos a serem adotados. Desde a forma de verbalizar com o abordado até o posicionamento de cada policial militar no cenário da ocorrência. Durante a busca, podem surgir circunstâncias que exijam mudança de comportamento dos policiais militares, e para isso é preciso monitoramento constante para agir prevenindo danos aos envolvidos. Após todo o procedimento, vale a pena avaliar o que foi feito, redefinindo, se for o caso, a metodologia de atuação.

Existem inúmeros exemplos onde o trinômio planejamento, monitoramento e avaliação podem (e devem) ser aplicados, buscando o aperfeiçoamento das nossas ações. É o que estamos fazendo, seja no plano estratégico, através do Pacto Pela Vida, por exemplo, seja no plano operacional, em uma simples abordagem ao cidadão. Só assim conseguimos manter a PMBA alinhada com as demandas do presente e do futuro.

É a PMBA e a comunidade na corrente do bem!