Arquivos mensais: Março 2016

A nossa cultura e o Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher

As datas comemorativas nada mais são que instrumentos temporais criados para nos fazer lembrar, todos os anos, de valores e princípios que não devemos renunciar. Nesse sentido, o Dia Internacional da Mulher é o momento de reconhecimento mundial do papel das mulheres em nossas sociedades, levando-nos à reflexão sobre temas de muita relevância, como preconceito contra mulheres, seus direitos e liberdades.

Felizmente, analisando retrospectivamente, o Brasil avançou muito na garantia da igualdade entre homens e mulheres, modificando entendimentos conservadores que impediam as mulheres de acessar recursos antes exclusivos aos homens. O mercado de trabalho é um grande exemplo disso, embora, ainda hoje, sabe-se que há disparidades que precisam ser corrigidas, como a diferença salarial entre homens e mulheres na iniciativa privada.

Como Comandante de uma instituição diretamente envolvida na preservação de direitos e fiscalização de deveres, penso que há desafios culturais ainda a superar, para que distorções como a violência contra a mulher sejam reduzidas. Principalmente nós, homens, devemos olhar para elas sem visões preconcebidas, sem entendimentos estereotipados, permitindo, assim, que as mulheres tenham autonomia em suas trajetórias.

Respeitar as individualidades de cada mulher, como ser humano livre e capaz de fazer suas próprias escolhas, é o primeiro passo para evitarmos a violência e o abuso. Se entendermos que as mulheres podem ser o que elas quiserem, da forma que quiserem, do modo que elas quiserem, passaremos a não mais exigir padrões de comportamento pautados em entendimentos equivocados.

A violência contra a mulher, que temos nos esforçado para combater, através da Ronda Maria da Penha, por exemplo, possui fortes raízes autoritárias de homens que não conseguem conceber autonomia e individualidade às suas companheiras. Refletir sobre isso é essencial para o Dia Internacional da Mulher!