Arquivos mensais: novembro 2016

A PMBA e o novembro negro

Novembro Negro

Em 20 novembro comemoramos o Dia da Consciência Negra, momento simbólico para discutirmos a importância do combate ao racismo, principalmente na Bahia: nossa capital é a cidade do mundo com a maior população negra fora da África. O tema é de importância central para promovermos a garantia de direitos em nosso estado.

Por ser uma prática cultural, o racismo, e outras formas de discriminação, não são abolidos por decreto, embora ajude muito a tipificação do crime em nossa legislação. É preciso discutir, esclarecer e entender nossas raízes históricas para que passos significativos sejam dados no caminho da eliminação do racismo como traço da nossa cultura.

Já temos esforços positivos na Polícia Militar da Bahia: a valorização do NAFRO, nosso Núcleo de Religiões de Matriz Africana e a implementação do estudo de relações étnico-raciais nos nossos cursos de formação são duas medidas já implementadas que tornam a PMBA uma instituição reconhecedora dos desafios que nossa sociedade precisa superar nesse campo.

Entendo que o racismo deve ser permanentemente discutido e problematizado, pelo grau de desumanidade e injustiça social que promove, onde quer que seja praticado. Por isso vejo com bons olhos a iniciativa da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Governo do Estado, que realizará seminários, eventos culturais, rodas de diálogo, além de entregas e certificações para povos e comunidades tradicionais nos territórios de identidade baianos, em cumprimento ao Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa.

A nós, policiais militares, e aos demais cidadãos, cabe a reflexão: o que posso fazer para ajudar a extinguir o racismo da nossa sociedade? Cultura se muda com engajamento social e participação coletiva!

PM e comunidade na corrente do bem!