As pequenas violências do cotidiano

Violências do Cotidiano

Quando pensamos em violência logo nos remetemos a organizações criminosas, quadrilhas, assassinatos e outros grandes crimes. Embora devamos sempre nos preocupar com qualquer modalidade de lesão a bens jurídicos, gostaria de falar sobre violências que não estão distantes de todos nós, e que podemos cometer não por maldade ou perversidade, mas por descuido e até desconhecimento.

Para dar um exemplo, considere quantas vezes um simples problema no trânsito costuma irritar as pessoas, levando-as a discussões ríspidas e agressivas. Ou mesmo em casa, quando irmãos discutem entre si, pais com filhos, marido e mulher. Às vezes, palavras mal colocadas fazem com que aqueles que amamos se distanciem, desestruturando a tão importante base familiar.

Há quem não respeite o outro por causa de sua origem social, religião, orientação sexual, cor da pele e elementos que não definem caráter. Piadas de mau gosto, xingamentos e outras formas de desrespeito são violências que devemos evitar sempre, pois magoam e destroem a integridade psicológica e moral das pessoas.

Em vez da violência, devemos incentivar a generosidade, a tolerância, o amor, a compreensão. Para fazer o correto não é preciso ser arrogante, ríspido e agressivo.

Sempre que pensarmos em violência devemos olhar primeiro para nós mesmos. Para a paz existir precisamos agir cuidadosamente, pois ela não é um ato de omissão. A paz é a ação através do Bem. Por isso sempre conclamo: a PMBA e a Comunidade na Corrente do Bem!

 

7 comentários sobre “As pequenas violências do cotidiano

  1. Muito interessante… sem dúvidas, uma outra violência, pouco comentada mas que às vezes podemos cometer, é aquela que recai sobre nós mesmos, sobretudo aos dedicados profissionais, comprometidos pais, sinceros amigos, que exigem muito de si mesmos, sem aceitar falhas… e não raro vivem toda a vida se culpando pelo insucesso ou provável frustração familiar, profissional, financeira, etc. É preciso lembrarmos que nossos erros nos aperfeiçoam e eles são comuns principalmente em algumas fases de nossas vidas. Portanto que aprendamos a perdoar a nós mesmos. E em vez de olharmos para o passado, construamos novos objetivos e rumos.

  2. E muitas vezes essas violências, não consideradas pela estatística oficial, imperceptível do ponto de vista da Segurança Pública, acabam por culminarem em crimes violentos, em disputas irracionais, levando dor e sofrimento aos envolvidos direta e indiretamente. Por isso, a cultura de paz tem seu começo em nos mesmos.

  3. Bom dia Senhores e senhoras! Concordo Sr. Cmt Geral! O Ser Humano por natureza é agressivo e não agressivo! Acalmar este outro Lado e Despertar sempre o outro 50% melhor é uma luta hercúlea e “minutéria”. As palmadinhas que muitos pais deram e dão, podem refletir nos homens e mulheres adultos! Se observarmos a Bíblia, detectamos traços forte da violência, dos acoites, as guerras de conquistas e os crucificados eram atos de extrema violência. Quanto sangue o Sol e a Lua presenciaram!
    Essa persegue o ser humano ao longo dos tempos! E o que mudamos ao longo dos séculos? Os Neros, Cleópatas, os senhores das Guerras e muitos outros. As decapitações continuam! Na história do Brasil, quantas cabeças ficaram ao sol para “dar exemplos”?! As ações violentas contra os índios, negros, mulheres, leprosos, homossexuais, pessoas com necessidades especiais, religiosos, pensadores, policiais e outros! Qual é solução? Orar mais e cultuar a PAZ! A educação do Povo é um caminho curto para a PAZ!
    Nós também sofremos com a violência!
    Valter Souza Menezes – Ten Cel PM – Cmt do 18º BPM.

  4. Concordo com o Senhor Coronel Anselmo Brandão; as vezes com um gesto, uma palavra sem pensar, causamos um mal entendido que muitas vezes torna-se impossível reverter a situação.

  5. O homem de bem

    “O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e caridade, na sua maior pureza. Se interroga a sua própria consciência sobre seus próprios atos, pergunta se violou essa lei, se não cometeu o mal, se fez todo bem que podia, se não deixou escapa violentamente uma ocasião de ser útil, se ninguém tem o que se queixar dele, enfim, se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele…” E.S.E. XVII

    Pois os homens muitas das vezes, esquecem de colocar de seu orgulho e sua vaidade de lado, deixando de pensar no seu próximo e só no eu! O sentimento do bem deixaria as coisas maravilhosas, mas as pequenas violências do cotidiano é que atrapalham tudo! As pessoas, infelizmente, não conseguem agir com amor ao próximo em todos os sentido da vida, por isso, estamos vendo o crescente da violência, da criminalidade e da corrupção, todos querendo levar vantagens em tudo até mesmo num simples diálogo com um amigo.

    Maj PM Roberto Carlos Fera de Almada Cmt da 22ª CIPM.

  6. Bom dia Comandante!!
    O que quero saber não tem nada a ver com o post,mas aproveito a oportunidade pra perguntar quando ocorrerá o CFO PM BA?? Desde já,agradeço!!

  7. Bom dia, Sua Excelência Cel. Anselmo Brandão !
    É com incomensurável alegria e satisfação que parabenizo ao senhor pela brilhante capacidade de se expressar através da arte de escrever , com o bom uso de seu refinado domínio vocabular que conscientiza, aconselha, e acalenta corações e almas feridas na tão ilustre produção dissertativa, criada e intitulada pelo senhor de “ As pequenas violências do cotidiano ”.Portanto, Sua Excelência, asseguro-lhe que ao ter contato com sua espetacular produção de texto no mural do Colégio da Polícia Militar de Juazeiro Bahia, fiquei maravilhado com seu humanismo, afeto, ética, dignidade, e respeito para com os demais que se sentem limitados, violados, frustrados, impossibilitados de prosseguir na busca de seu sonhos, ideais e metas, simplesmente porque foram vítima das tais violências,proferidas em seu texto, e permita-me por gentileza, o uso de um fragmento da sua plausível obra de arte, logo em seguida: ” Por causa de sua origem social, religião, orientação sexual, cor da pele e elementos que não definem caráter. Piadas de mau gosto, xingamentos e outras formas de desrespeito são violências que devemos evitar sempre, pois magoam e destroem a integridade psicológica e moral das pessoas. (Autor:Cel. Anselmo Brandão)” .
    No entanto, concordo plenamente com o senhor que a competência do ser humano em tornar-se bem sucedido socialmente, intelectualmente, economicamente, politicamente, não estão inerentes a sua origem social ,ou maior pigmentação do tecido epitelial, orientação sexual ou sua religiosidade, porém, infelizmente somos frutos de uma sociedade deformada e preconceituosa ,pois até Albert Einsten, já se pronunciou filosoficamente, sobre tal tema numa frase de teor “É mais fácil quebrar a molécula de um átomo que o preconceito ”.Portanto, no Brasil temos um grande nome de referência exemplar nacional e mundial no âmbito do JUDICIÁRIO FEDERAL, o altamente competente EX-MINISTRO DO STF : Joaquim Barbosa (afrodescendente ), no mundo da música temos grandes nomes como: Freddie Mercury da banda QUEEN , no nosso país Cazuza, Cássia Eller, (todos estes não heterossexuais citados por último. ),e o fato de ser não hetero não é crime e nem falta de caráter, quem sabe seja uma questão de DNA, ou consequências de abusos e violências vivenciados quando crianças por pedófilos, danos estes que são irreversíveis e ainda estes vitimados têm a difícil missão de tentar aprender a gerenciar seus conflitos e guerras internas. Contudo, quem é essa pessoa na vida, que nunca ouviu ,ou ainda ouvem estas relíquias do mundo musical(Freddie Mercury,Cássia Eller e Cazuza). Entretanto, cabe a nós integrantes da sociedade, o respeito como nosso dever, em relação as particularidades dos outros, independente de cor, orientação social, condição social, religiosa etc.
    Todavia, Sua Excelência Cel. Anselmo Brandão , é absolutamente louvável sua manifestação de pensamento através deste texto, pois tal atitude de coragem e humanismo, demonstra que o senhor por ser a Estrela de maior brilho e poder no estado da Bahia na instituição da Polícia Militar, é alguém humano, que ultrapassa a visão arcaica, equivocada e precipitada da sociedade em grande parte, que acha que a polícia é grosseira, despreparada ou letal, mas o senhor é a contraresposta concreta para estas concepções distorcidas, porque no texto o senhor é espelho espelhável de um verdadeiro comandante, e acima de tudo líder, que tem como alicerces os valores da família, do bem estar social coletivo, e a defesa dos que se sentem excluídos e violados. Quanto a questão religiosa, todos têm a livre escolha de ir para onde se sentir mais confortável, pois o próprio Deus deixou o livre arbítrio.
    Vale salientar que, há um ditado popular de grande uso no cotidiano das pessoas que a primeira impressão é a que fica, e isso é verdade, portanto, esta experiência foi comprovada no recinto C.P.M.- Juazeiro, através do ex-diretor geral ,o altamente competente Ten.Cel.Mendonça, lá ficava a admirar e elogiar em conversa com alguns colegas docentes que também trabalham na unidade já mencionada acima e onde também, eles concordavam em elogios, que o Ten. Cel. Mendonça é super em tudo que faz tanto em sua vida profissional quanto pessoal, e em seguida repitirei o adjetivo super, intencionalmente para enfatizar todos os atributos inerentes a ele. Super Humano,Super Humilde, Super Acessível, Super Educado, Super Presente,Super Administrador, Super Atencioso,Super Comandante e Super Líder e outras infinidades de Super do Bem.Ressalto ainda que tive o privilégio de tê-lo como diretor de 2014 até meados de 2015,e ele foi a única primeira boa impressão de OFICIAL MAIOR HUMILDE E HUMANO, e hoje posso garantir que o senhor Cel. Anselmo Brandão é a sugunda boa impressão de OFICIAL MAIOR HUMANO E HUMILDE ,e comprovei isto, através do contato com suas palavras bem formuladas e convincentes em “ As pequenas violências do cotidiano ”.
    Informo a Sua Excelência, que achei sua publicação um mecanismo de rica importância e indispensável na formação do ser humano, portanto,a usarei como material didático na disciplina de Redação nas turmas dos 7ºs anos do C.P.M.-BA, JUAZEIRO –BA.

    Respeitosamente,
    Professor : Janderlei Araújo – Jota Araújo – C.P.M.- JUAZEIRO-BA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *