Arquivos da categoria: Comunicação

Mídias Sociais e Democracia

Mídias Sociais e Democracia

Sou um adepto das formas democráticas de comunicação. O advento das mídias sociais, por exemplo, tem gerado grandes vantagens não só para o cidadão, mas para as organizações públicas, como a Polícia Militar da Bahia, que pode tornar-se mais acessível através dessas ferramentas. Este blog e os demais veículos de mídia social da PMBA são grandes exemplos de interação produtiva e eficiente proporcionada por esse momento ímpar da tecnologia da informação.

Ao tempo em que devemos aproveitar todos esses recursos disponíveis para propagar o bem, também devemos ser cautelosos e responsáveis ao utilizá-los. Todos sabemos que veículos de comunicação (qualquer que seja) são capazes de esclarecer, informar e criar laços positivos, mas também podem arruinar reputações, propagar inverdades e gerar espirais de medo e ódio. Nós, policiais militares, que lidamos com temas muito sensíveis, que envolvem Direitos Fundamentais, devemos estar sempre atentos a isso.

Percebam a ingenuidade e descompromisso que muitos usam o verbo “repassando”, bastante comum no compartilhamento de conteúdo nas mídias sociais (principalmente no WhatsApp). Precisamos entender que, ao “repassar” algo, não estamos isentos de responsabilidade do que estamos propagando. É assim que ocorrem as reações em cadeia de falsas informações, que podem gerar pânico social, a ponto de mudar comportamentos e desagregar a estabilidade de uma comunidade.

Outro cuidado necessário na utilização das novas mídias é a divisão entre o que é público e o que é privado. O acesso a poderosas ferramentas de comunicação acabou tornando cada cidadão uma “celebridade” em potencial, algo que mexe com os brios e vaidades de qualquer ser humano. O problema é que, nem sempre, é seguro, construtivo e conveniente se expor. Apenas uma linha separa o que é produtivo do que é destrutivo.

Um ponto importante a se ressaltar é que as mídias sociais não constituem ambiente isento de alcance da legalidade. Existem inúmeros casos de crimes de racismo, por exemplo, praticados nas mídias sociais, que foram objeto de apuração e responsabilização pela Justiça. Numa sociedade cada vez mais conectada, é imprescindível que as regras democráticas sejam mediadoras das relações interpessoais para garantir que direitos não sofram lesões.

É de conhecimento público que o computador, inventado por engenheiros da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, teve como objetivo inicial realizar cálculos para a artilharia norte-americana durante a Guerra Fria. Hoje, esta fantástica invenção é utilizada para os mais diversos fins pacíficos. Não podemos permitir que as mídias sociais, nascidas em sociedades democráticas e utilizadas para a democratização de muitas sociedades, sigam o caminho inverso, servindo a fins impróprios aos princípios cidadãos.

Como ter acesso à PMBA?

Como ter acesso à PMBA?

Uma instituição democrática não pode estar indisponível àqueles a quem presta seus serviços. Quanto mais meios tiver para buscar se relacionar com o cidadão, mais facilmente cumprirá seu objetivo de estar aberta ao público, tomando conhecimento do que a sociedade percebe e anseia. Organizar-se democraticamente é ser transparente, acessível e diligente.

Por isso a Polícia Militar da Bahia está sempre em busca de entrar em contato com o cidadão, seja em escolas públicas ministrando palestras sobre prevenção às drogas, seja perguntando a uma liderança local como anda a segurança dum bairro, seja expondo nosso trabalho em locais de grande circulação de pessoas, como shoppings e galerias. Agir democraticamente, para nós, não é uma atitude passiva, mas uma construção permanente de canais de acesso do cidadão à PMBA.

Atualmente já possuímos muitas formas do cidadão ou cidadã entrar em contato conosco. O primeiro deles é o contato direto com o policial militar nas ruas. Nossa tropa é orientada a atender imediatamente a chamados de qualquer pessoa, orientando em caso de dúvidas, colaborando com quaisquer demandas e obtendo o feedback do trabalho prestado.

“Agir democraticamente, para nós, não é uma atitude passiva, mas uma construção permanente de canais de acesso do cidadão à PMBA”

Também possuímos quartéis em todos os municípios baianos, onde você poderá se dirigir para entrar em contato com a PMBA. Use a lista telefônica do nosso site institucional, com e-mails e endereços de todas as unidades da Polícia Militar da Bahia. Lá você fica sabendo quem são os comandantes e subcomandantes das unidades, responsáveis por liderar a tropa de todas as partes do estado.

Hoje estamos presentes nas principais mídias sociais, como o Facebook, Twitter e Instagram. Além deste blog, alimento uma página no Facebook onde divulgo as ações do meu Comando para a comunidade. É uma forma bastante interativa e dinâmica de divulgar ações e obter um retorno da comunidade em relação ao nosso trabalho.

Caso queira fazer denúncias, críticas e elogios a nossa atuação, e não queira se identificar, você tem à disposição o site da Ouvidoria Geral do Estado, um canal de acesso direto às estruturas de comunicação, inteligência, planejamento operacional e correcional da Polícia Militar da Bahia.

Por fim, e não menos importante, você tem disponível, 24 horas por dia, o serviço 190, uma forma de acessar a PMBA em pronto emprego, para o caso de crimes em andamento ou recém-ocorridos e qualquer situação de risco. Em boa parte do território baiano nossas centrais de atendimento estão integradas com outras organizações de defesa social, e também realizam monitoramento por câmera dos municípios.

Como percebe-se, a PMBA possui ferramentas imprescindíveis para afirmar sua natureza democrática, transparente e pronta para atender o cidadão. Mesmo com toda essa estrutura, continuamos ininterruptamente em busca de melhor prestar nossos serviços à Comunidade, que é a razão de ser de qualquer instituição pública.

É a PMBA e a Comunidade na Corrente do Bem!

A PMBA é destaque nacional!

Sempre que temos oportunidade, devemos brindar a visibilidade positiva que a Polícia Militar da Bahia adquire. Não só por causa da prestação de contas que é dada à sociedade sobre o serviço público que temos o dever de cumprir, mas também porque é um grande estímulo ao orgulho profissional de nossa tropa.

Toda vez que o ser humano é notado e reconhecido sua motivação cresce, e o ciclo de construção do Bem é fortalecido. Por isso devemos exaltar o destaque em âmbito nacional que a PMBA adquiriu com a realização da solenidade de 190 anos, no Teatro Castro Alves. A Revista Caras, da Editora Abril, em sua edição 1.128, mostrou a participação das cantoras baianas Daniela Mercury e Alinne Rosa no evento:

PMBA na Revista Caras
A PMBA na Revista Caras: a solenidade de 190 anos foi destaque. Foto: reprodução.

Além de projetar uma solenidade realizada pela nossa Polícia Militar, a publicação mostra que reconhecer e valorizar o trabalho dos policiais militares é algo fundamental para a construção da Paz em nossa sociedade.

Um destaque que orgulha cada policial militar baiano, que dia após dia se esforçam para construir a Corrente do Bem entre a PMBA e a Comunidade!

Você colabora para evitar a sensação de insegurança?

Sensação de Segurança

Aferir os resultados da atividade policial-militar é particularmente desafiador porque, para o sucesso da nossa missão, não basta evitar que delitos ocorram, também é preciso fazer com que a comunidade entenda que estamos cumprindo nosso papel. Mais do que prestar segurança, também nos preocupamos em fazer com que as pessoas se sintam seguras.

Parece uma diferença trivial, mas esses dois fatores possuem uma relação que precisa ser considerada com muita responsabilidade. Vamos a um exemplo: digamos que, durante uma partida de futebol, alguém grita no meio de uma torcida organizada que há uma bomba no local. A tendência é que o desespero tome conta dos torcedores, o corre-corre comece, gerando o risco de quedas e outros acidentes. Ao se esbarrarem uns com os outros alguns torcedores podem brigar, o planejamento do policiamento precisará dar atenção ao problema etc.

Percebam que toda essa sucessão de eventos independe da existência real de uma bomba na torcida. O que mobilizou todos os torcedores, possibilitando a incidência de uma tragédia, foi a sensação de insegurança. O medo de ser vítima de uma explosão pode ter efeitos mais danosos que a própria explosão.

“Em época de novas tecnologias da informação, muita gente abusa desses espetaculares recursos de comunicação para proclamar o terror”

Por isso atuamos não só coibindo ações delituosas, mas também mostrando à população que a Polícia Militar está presente, que o cidadão pode contar conosco e que estamos alcançando resultados significativos na prevenção a atos criminosos em nosso estado. Afirmar nossas evoluções e marcar presença no dia-a-dia dos baianos é a forma de garantir sensação de segurança para a convivência social harmônica, sem sustos.

Para isso precisamos contar com cada cidadão, pois o que menos ajuda nesse cenário é a propagação de boatos sobre a segurança pública. Em época de novas tecnologias da informação, muita gente abusa desses espetaculares recursos de comunicação para proclamar o terror, sem qualquer responsabilidade com o próximo. Às vezes atém mesmo notícias de outras partes do país e do mundo são fantasiadas como se fossem locais, plantando o espanto desnecessariamente.

Como tudo na Segurança Pública, o sucesso nessa área depende da ação do Estado em parceria com o cidadão. Garanto que a Polícia Militar da Bahia está em ação para que tenhamos a medida correta dos problemas de insegurança que enfrentamos. Além disso, cada um de nós precisa assumir o papel de responsável para que a sensação de insegurança não nos leve a cometer algo pior do que aquilo que pretendemos prevenir.

Conto com cada cidadão e cidadã para construirmos uma sociedade lúcida, harmônica e pacífica. É a PMBA e a Comunidade na Corrente do Bem!